Vá para fora. Venha até Mora! (1)

Percurso I – Brotas

Precisa de uma pausa? O seu médico mandou-lhe tomar Valium para acalmar do stress da vida? Não vá nisso. Venha de férias para Mora. 

Tem cá tudo o que precisa para acalmar o espírito e revigorar o corpo. A luz, o ar puro, o espaço para deixar respirar a alma, o silêncio, o ritmo de vida que desliza devagar, devagarinho, o acolhimento dos alentejanos. A comida. Os cursos de água onde pode exercitar o corpo ou descansar o espírito. As “velhas pedras”, se gosta de se passear por locais com história.

Mora é um cantinho especial deste nosso belo Portugal. Descobri-o há mais de 25 anos, quando o caminho de Lisboa até lá se fazia pela ponte de Vila Franca de Xira. Hoje vai-se pela Ponte Vasco da Gama e em cerca de uma hora está-se num oásis de tranquilidade.

O concelho de Mora conta com quatro freguesias: Vamos laurear o queijo por elas todas ao longo de quatro artigos.

BROTAS

Eu adoro esta aldeia, onde tudo e toda a gente respira Alentejo. Desde as alvas casas caiadas, com as suas riscas azuis, até ao sorriso das pessoas, que nos vêm espreitar às portas. E nos dizem bom dia, ou boa tarde, quando nos cruzamos na rua, hábito há muito desaparecido nas grandes cidades.

O que mais me fascina em Brotas é a sua Igreja e aquele ar de presépio permanente. É como se fosse sempre Natal em Brotas. Mesmo quando os dias vão quentes e temos que nos refugiar na sombra.

A igreja data do início do século XV e dado o seu inestimável valor patrimonial foi classificada como Imóvel de Interesse Público. O seu interior é belíssimo e merece uma visita pausada. Quem explica bem a história deste santuário é a Rosário Mendonça que gere casas de romaria

Conta a história que por volta de 1424, numa ermida dedicada ao culto de Nossa Senhora de Brotas, se deu um milagre. “Um pastor, que levara a sua vaca a pastar, vê o animal cair num barranco, partir uma pata e morrer. Desolado, prepara-se para o esfolar quando surge Nossa Senhora. A Virgem fala com o pastor, explica-lhe que vai ressuscitar a vaca e pede-lhe para construir um santuário no local. Este milagre, que vai dar origem a um culto de características rurais, constitui um curioso exemplo de regionalismo na iconografia mariana, inserindo-se nas cerca de mil invocações que integram o culto de Maria em Portugal.”(1) No local da antiga ermida ergue-se hoje a bonita igreja de Brotas.

Igreja de Nossa Senhora das Brotas

Brotas é abraçada por oliveiras e sobreiros. Gosto de sair do aglomerado de casas e dar a volta à aldeia. E lá de longe ver o fumo a sair das chaminés. Haverá aldeia que cheire mais a Alentejo do que esta?

Se o calor apertar e a sede despertar os fontanários cá estão, sempre oferecendo o murmúrio da água, sempre prontos a saciar a minha sede, a refrescar os dias quentes.

Fontanário de Brotas, datado de1699

Os fontanários  asseguram o abastecimento público de água para consumo humano e a sua qualidade é garantida pela entidade gestora da rede do concelho de Mora.

Também esta família usufruiu da generosidade deste fontanário em Brotas.

Ao lado da igreja encontramos o atelier de arte de Célia Matos que ao barro dá expressão e forma. Com carinho, saber e paciência cria painéis, jarras, pratos decorativos, anjinhos e até St°. Antónios. No Natal os anjinhos, os presépios e o Pal Natal invadem o espaço e o difícil é resistir a não trazer um deles para casa.

Atelier de Célia Matos Rua da Igreja

Na Olaria das Brotas encontramos peças rústicas que saem das mãos de Vera e José Carlos Ramalhão, na sua Olaria das Brotas.

Ao final da tarde junte-se às gentes da terra, no café da aldeia, e deixe-se invadir pelo espírito do Alentejo.

🌞 METEOROLOGIA EM BROTAS

O tempo no Concelho de Mora

🚍 COMO CHEGAR A BROTAS

Doze quilómetros dista Brotas do centro de Mora, sede de concelho. Se estiver de carro são 15 minutos. Se chegou a Mora via Rede Expressos pode apanhar o autocarro para Brotas. Note que os horários são muito reduzidos e o percurso efectuado apenas uma vez por dia.

😴 ONDE DORMIR

Casas de Romaria

Às casas foi atribuído o nome das confrarias a que pertenciam, sendo respeitada a traça tradicional, mantendo a configuração e aspecto original. Têm várias tipologias e estão completamente equipadas, sendo um alojamento perfeito para famílias.

O pequeno almoço é copioso e servido com simpatia. A decoração, cuidada e usando peças de artesanato local, faz-nos sentir em casa.

🍴 SENTADA À MESA

No restaurante O Poço podemos provar alguns pratos tipicamente alentejanos. Confira os preços antes de encomendar.

R. 25 de Abril 7, Brotas 7490-029 Portugal Telefone +351 266 487 155

VIAJE EM SEGURANÇA em tempo de COVID-19

  1. Planeei com a sua viagem cuidadosamente e escolha todos os lugares que quer visitar. Se for visitar cidades verifique quais são as medidas de protecção em vigor no local para onde vai. Se quiser visitar museus e monumentos compre os bilhetes online sempre que isso seja possível evitando, assim, estar em filas. Certifique-se que esses locais aplicam medidas de protecção sanitária.
  2. Se for a restaurantes escolha os que respeitam todas as regras de protecção sanitária, incluindo a possibilidade de manter a distância social.
  3. Procure fazer as suas visitas a cidades quando o comércio já estiver fechado. Haverá menos gente nas ruas. Se quiser fazer compras, assegure-se que vai protegido.
  4. Leve consigo máscara facial e gel.

(1) journals.openedition.org/cultura/345

Foto de capa | Giovanni L. Sacco

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s