Monschau, a cidade de conto de fadas

Há uma cidadezinha de conto de fadas na Alemanha chamada Monchau e foi lá que fomos este fim de semana. Fizemos o triângulo Aachen, Monschau e Stolberg e vou mostrar-vos como foi.  

Dia 1 – Aachen e Monschau

O ponto de partida foi Bruxelas, sábado de manhã, rumo a Aachen. Há três coisas que não pode deixar de fazer: deambular pelas ruas da cidade, visitar a Câmara Municipal e a Catedral.

O imperador Carlos Magno (747–814) escolheu Aachen como residência, o que de si diz muito sobre a importância da cidade. A zona histórica, com mais de 2 000 anos, convida a um passeio descontraído pelas ruas estreitas, com o seu ambiente acolhedor e os seus inúmeros pontos históricos. À volta da Praça do Mercado há algumas ruas comerciais, com várias lojas de produtos nacionais, como são os famosos brinquedos de madeira alemães, onde se incluem os relógios de cuco, os carroceis e os presépios de Natal.

Os gulosos, como eu, têm em Aachen um paraíso de pastelarias com deliciosas tartes de chocolate, frutos silvestres, limão, entre outras. Padarias também não faltam e só de olhar para as montras se fica com água na boca.

A manhã estava gloriosamente ensolarada e aproveitámos para comer na esplanada, na companhia da Gata Morgana, que participou nesta viagem de dois dias. Mesmo antes de sair de casa já sabia o que ia almoçar, o belo chucrute com salsicha, mais germânico do que isto é difícil. Se apreciar cerveja sorte a sua, está num dos reinos mundiais desta bebida fermentada. Não posso recomendar nenhuma marca porque me fico sempre pela água e Coca Cola.  

Sem aviso prévio tivemos direito a uma parada da cavalaria alemã, que fez uma pausa no meio da Praça do Mercado para dar de beber às cavaleiras e aos cavaleiros.

Praça do Mercado – Aachen

O edifício da Câmara Municipal é um monumento histórico. A sua fachada reflecte o esplendor do edifício. A ladear Carlos Magno, Maria e Papa Leão III podem apreciar-se as figuras esculpidas de 50 reis, incluindo os 31 que foram coroados em Aachen. Na sala de coroação que outrora foi o cenário para as festas da coroação, as cópias dos mantos imperais testemunham as gloriosas eras do passado.

A Catedral de Aix la Chapelle em francês e Aachen em alemão é o monumento que não pode deixar de visitar. Situa-se no centro da vila, na pequena, arborizada e muito acolhedora praça Katschhof. É uma das mais importantes catedrais da Europa do norte e foi construída entre 790-800 D.C. Durante 600 anos Aachen foi local de coroação dos reis alemães. Trinta reis foram coroados sob a bela cúpula da catedral que se eleva a 32 metros. Na sua construção foram usados 32 milhões de mosaicos e os seus vitrais ocupam uma superfície de 1000 m2.

No seu interior encontra-se um riquíssimo Tesouro, constituído por preciosos objectos ligados à história da catedral, mais de cem fantásticas obras de arte e o busto em ouro e prata de Carlos Magno.

Katschhof – É nesta praça que se realiza o famoso mercado de natal de Aachen

O final do dia foi passado em Monschau, a cidade que parece saída de um conto de fadas. Chegámos um pouco antes do pôr do sol e encontrámos a cidade banhada pelas réstias de sol que iluminavam uma dourada paisagem de outono.

Rio Rur

Em pleno Parque Nacional Eifel, situado num vale atravessado pelo rio Rur, Monschau é um lugar idílico. Já visitei a cidade várias vezes e as minhas alturas do ano preferidas são o Outono, quando a cidade se veste de folhas douradas, e o Inverno, quando todo o vale é coberto por um manto de neve que lhe confere um ar ainda mais mágico. Na época do Natal, então, é tão bela que qualquer um se rende aos seus encantos.

Era noite de Halloween e a iluminacão, a música, as máscaras e os risos das crianças tornaram o final do dia mágico. E um pouco do outro mundo.

Monschau tem muitas tradições, sendo famosa pelas suas peças de vidro soprado, pelo PRINTEN, um biscoito típico e originário de Aachen e pela mostarda local. Um dos pontos turísticos de interesse é precisamente uma visita à fábrica histórica que existe há mais de 100 anos! Mas cuidado, não lhe chegue a mostarda ao nariz!

Com muita, muita pena, deixámos Monschau já ao escurecer e serpenteámos de volta a estrada que conduz a Stolberg, onde passámos a noite.

Dia 2 – Stolberg e Monte de Vaals

Confesso que escolhi Stolberg porque foi lá que encontrei um alojamento que aceita animais de estimação. Surpresa fantástica, a cidadezinha e o apartamento. Obrigada, Morgana, se não fosses tu, gata, não teríamos tido esta experiência.

Stolberg, com o seu castelo altaneiro e as suas ruas medievais, é uma viagem pela época medieval. No final da visita páre, respire fundo e regresse ao século XXI.

O castelo data do século XIII, sendo a torre redonda o elemento mais antigo desta fabulosa fortificação que foi crescendo ao longo dos séculos e inteiramente restaurada no início do século XX. Era domingo e o acesso ao interior do castelo estava vedado, sendo apenas possível uma visita aos espaços exteriores, de onde se tem uma vista deslumbrante sobre a cidade.

Adorei a grandeza do castelo, a sua fachada enorme de janelas com portadas coloridas, os inúmeros recantos ornados com torres de vigia, a calçada de pedra e o ambiente, deliciosamente principesco e outonal.

Em dias de semana é possível visitar o museu existente no perímetro do castelo e, claro, todo o seu interior.

Deixe-se perder pelas ruas da cidade, sem pressas, permitindo ao olhar pousar-se nos detalhes da arquitectura antiga, páre para olhar o castelo de longe e saboreie esta lindíssima cidade que respira história a cada recanto.

Em tempos, Stolberg foi um importante centro industrial de latão, a liga metálica de cobre e zinco. Por volta de 1600 os produtores de latão protestantes saíram de Aachen, fugindo a perseguições religiosas e a pesadas restrições económicas, e instalaram-se em Stolberg. A cidade permaneceu um bastião industrial até meados do século XIX.

Se muito bonita no Outono, deve este lugar ser ainda mais fantástico na Primavera e Verão, com um sol ameno que permita usufruir de actividades ao ar livre.

Stolberg é banhada pelo Rio Vicht

Antes de rumar à Holanda, deixem-me mostrar-vos o lugar onde ficámos a noite. Tivemos a felicidade de encontrar a Gaestehaus by George e o super simpático e acolhedor restaurante By George numa busca pela internet. A gerência é a mesma, como está bem de se ver, o pessoal é muito simpático, incluindo o dono. O apartamento e o restaurante ficam na encosta do castelo e têm tudo o que é preciso para a gente se sentir em casa. A comida é boa e servem até às 22h00, o que numa pequena terra como esta é invulgar.

A cereja em cima do bolo é que aceitaram a nossa pequena Gata Morgana que, assim, não teve que passar o fim de semana sózinha em casa.

By George, restaurante e apartamento

Após termos visitado o castelo, a cidade, de termos deambulado pela feira no parque de estacionamento de Kaufland e de termos bebido um café voltámos à estrada e fomos até Vaals, na Holanda. O destino era o Monte de Vaals, ou Vaalsberg em holandês, também conhecido por Drielandenpunt. Há muito que tinha ouvido falar deste lugar e finalmente cá estava eu, na colina mais alta da Holanda continental, ponto de confluência das fronteiras da Bélgica, da Alemanha e da Holanda. Olhem só para mim, com um pé no primeiro país, um pé no segundo e um braço no terceiro. Esse ponto fica no centro de uma magnífica floresta onde podemos caminhar durante horas, entre árvores de grande porte e beleza e colónias de cogumelos.

Vistas todas estas maravilhas voltámos a casa, com os olhos e a alma repletos de belas recordações destes lugares e destas viagens no tempo. Até breve, Bis bald, Tot ziens, À bientôt.

⛅️ QUANDO VIAJAR PARA A ALEMANHA

Todas as alturas são boas para viajar para Alemanha. Já lá fui no Verão, no Outono e no Inverno. Cada estação do ano tem o seu encanto próprio e apela a um estado de espírito diferente da nossa parte. No Verão a temperatura é, claro, mais elevada, os dias são muito mais compridos e propícios a longos passeios. No Outono, tudo ganha o encanto especial da estação de ouro, quando as folhas caídas das árvores cobrem tudo de dourado e cor de cobre. O frio começa já a sentir-se e os dias são mais curtos. No Inverno, a região de Eifel cobre-se de neve e as cidades ficam absolutamente encantadoras.

☀️ METEOROLOGIA NA ALEMANHA

O tempo na região de Eifel

😴 ONDE DORMIR

Stolberg Gaestehaus by George

É um apartamento de três andares, cozinha, casa de banho, sala e dois quartos completamente equipado para permitir uma estadia de vários dias a um grupo de três pessoas. Aceitam animais domésticos.

Dispõe de máquinas de lavar loiça e roupa, forno, fogão, torradeira, micro-ondas, televisão e ligação WiFi. No caso de viajar com crianças muito pequenas ou com pessoas com mobilidade reduzida não aconselho a ficarem aqui porque o acesso aos vários andares da casa faz-se por uma relativamente estreita escada de madeira e apenas o quarto de casal tem porta. Não queremos acidentes com os pequenotes a cair da escada nem deixar os adultos a dormir na cozinha por não conseguirem subir aos quartos, pois não?

Monschau – Há uma enorme oferta hoteleira na cidade. Veja aqui os hoteis em Monschau

🍴 SENTADOS À MESA

Em Aachen comemos no Brauhaus Goldener Schwan, na Praça do Mercado. Há muitas outras opções neste local e vários restaurantes na cidade. Escolhemos este porque aceitam animais e pela sua excelente esplanada, virada para o edifício da Câmara Municipal. A comida esteve à altura das expectativas.

Em Stolberg jantámos no Bistro by George As doses são generosas, saborosas, os preços acessíveis e a decoração do restaurante é um miminho. Com a vantagem de ficar num lugar muito bonito na encosta do castelo e mesmo em frente ao alojamento onde pernoitámos.

🚍 TRANSPORTES

Fomos de carro, o que é uma aventura pelas estradas da Alemanha. Tenha muita atenção aos diferentes limites de velocidade e respeite-os integralmente se não quiser sair do país com uma colecção de multas de trânsito por excesso de velocidade. Frequentemente os limites de velocidade mudam sem que haja qualquer sinalização a prevenir-nos.

A estrada de acesso a Moschau tem várias curvas do Mónaco e é sempre a subir (e depois a descer, claro). Conduza devagar, pela sua saúde e a dos ocupantes do veículo. Mesmo que a placa lhe diga para seguir a 70 km à hora não ligue, vá a 50. Vai ver que me agradece o conselho.

O estacionamento em Aachen e em Monschau é bastante fácil, dado que existem muitos parques de estacionamento. No entanto, prepare-se para um tarifário salgado, isto é, bastante elevado, como é prática nestes países.

Em Stolberg, andei às voltas durante cerca de 15 minutos antes de encontrar um lugar para estacionar. Os horários dos parques são muito estritos e, se não tivermos cuidado, e for sábado, podemos estacionar num parque que fecha à meia noite e só reabre 36 horas depois. A melhor opção são os lugares de estacionamento gratuito entre o Kaufland e a estação de caminho de ferro.

De Bruxelas a Aachen pode ir-se de comboio ou de autocarro. O mais confortável é viajar de Thalys, o comboio de alta velocidade que liga França, Bélgica, Alemanha e Holanda.

De Bruxelas a Monschau também se pode ir de comboio ou autocarro. Veja aqui horários e preços: Brussels/Monschau

💡 DICAS

  • Se for de carro a Moschau no inverno certifique-se que leva pneus de neve, caso contrário pode ficar com a viatura atolada na neve.
  • Vestuário, no Inverno vá com agasalhos fortes, luvas, gorro e cachecol. As temperaturas descem facilmente a negativos. Nas outras estações diria que um pequeno chapéu de chuva ou um chapéu impermeável é sempre um trunfo na manga.

🌐 MAPA DO PERCURSO

2 thoughts on “Monschau, a cidade de conto de fadas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s